Xintoísmo

A palavra Xintoísmo é um substantivo masculino e ficou conhecido como uma antiga religião politeísta do Japão. A palavra é de origem chinesa, Shen (Deus, espírito) e To/Do (Estudo, caminho) juntas significam “Caminho de Deus”.

A base do Xintoísmo é o politeísmo, ou seja, a crença em várias divindades, as quais atribuem como sagrado todos os elementos da natureza. Acredita-se que nos tempos atuais há mais de 120 milhões de pessoas seguidoras do xintoísmo em todo Japão.

Para os xintoístas todo universo é divino, interligados e interdependentes, mas você deve estar se perguntando, como assim?

Para o segmento, além dos seres vivos todos os elementos visíveis ou invisíveis da natureza coexistem em harmonia sendo originados da mesma criação, da mesma fonte.

O principal símbolo da religião é o Torii, símbolo esse composto por duas barras verticais e uma superior horizontal formando uma espécie de portal. Com mostra a imagem acima.

Origem do Xintoísmo

Muitos são os relatos do surgimento da religião, alguns estudos apontam que o xintoísmo surgiu através de paisagens naturais do Japão. O xintoísmo é considerado uma prática milenar que possui origem nas chamadas tradições pré históricas Japonesas, além disso, teve sua origem enraizada no sistema tribal baseada em clãs do período joomon 8 mil a.C. Foi a partir dessa ligação que houve a criação dos deuses e a espiritualidade.

Mas, apesar das suas bases serem interligadas as raízes anciãs, o xintoísmo só foi reconhecido no século VI.

O Japão é formado por quatro grandes ilhas e além delas, há diversas outras menores, e por esse fato, culminou-se o surgimento de muitas religiões diferentes, tanto que o Japão ficou reconhecido como “Museu Vivo de Religiões”. Foi por conta das tradições chinesas, que os japoneses precisaram encontrar formas para identificar a sua religião existente, é nesse momento que o xintoísmo teve seu surgimento concreto.

Foi apenas no século VIII que começam a surgir os primeiros textos sagrados da religião, reconhecidos como Kojiki e o Nihon Shoki, com o surgimento dos primeiros textos, o xintoísmo desprende das influencias estrangeiras, tornando-se religião oficial do estado no ano de (1868-1902) durante a era Meiji.

Com vários acontecimentos no Japão, ascendeu-se a segunda guerra mundial, a qual o país foi derrotado, por esse fato o imperador Japonês Hirohito renuncia a sua divindade, divindade essa atribuída a realeza, e o país desenvolve uma nova constituição que passou a defender a liberdade religiosa.

Veja também: Teoria do Conhecimento (Gnosiologia) e Conhecimento Filosófico?

Práticas e Costumes

Para o xintoísmo todas as coisas existentes no universo estão interligadas e consequentemente são consideradas divinas.

Na religião é muito importante a prática da harmonia e a purificação da alma, são fatos intimamente ligados a natureza. Para o xintoísta o corpo é a principal fonte de purificação em seu estado natural, pois, para eles, no mundo inferior há influencias maléficas dos espíritos.

 As divindades louvadas são reconhecidas como Kami ou kamis, pois para os japoneses representam uma ou várias divindades. Os xintoístas acreditam que essas divindades estão presentes em ambientes naturais, como os animais, plantas, pedras, rios, montanhas, seres humanos, e sim, os kamis podem ser encontrados até em mortos, por esse fato são dedicados os cultos aos ancestrais.

Os kamis são entidades capazes de intervir no cotidiano dos Japoneses garantindo a proteção dos locais em que são patronos, ou seja, lugares esses que são protetores. Dentro da religião, os kamis mais importantes é o Amaterasu, considerada a deusa do sol e Kami Inari, considerado produtor do arroz, o arroz é o alimento mais cultivado e importante no Japão.

A pureza é um dos princípios da religião, e por esse é fato é muito valorizado a higiene e o cuidado com a saúde corporal e espiritual.  A purificação é feita em rituais de banhos, jejum, e o mais surpreendente, através do exorcismo.

Diferentemente de outras religiões, os xintoístas não seguem nenhum tipo de dogmas, mas possuem escrituras sagradas que contem as mitologias da tradição xintoísta que servem de base para novos adeptos não praticantes.

Outros artigos:

O xintoísmo preca que não é necessário ser uma praticante crente, mas respeitar os valores passados e seguirem os ideais de justiça, caráter, princípios esses atrelados a uma vida de pureza e sem pecados.

Os sacerdotes podem ser tanto homens ou mulheres, desde que pratiquem a pureza como meta principal de vida.

Os santuários do Xintoísmo

Como mesmo vimos, a religião prega o culto a natureza e aos espíritos ancestrais que são referenciados através de oferendas e orações realizadas em altares, templos, e santuários.

O culto é realizado basicamente para alcançar pedidos, promessas, ou simplesmente, apenas agradecer as graças alcançadas. As oferendas geralmente são feitas com alimentos, como arroz, saquê, sal.

A Higiene é fato principal, antes de adentrar ao santuário, os sacerdotes lavam as mãos e a boca, e o mais curioso, penduram uma espécie de madeira no pescoço com orações dedicadas as divindades.

No templo os kamis são chamados através de um sino e a partir disso são oferecidos alimentos, como arroz, e até mesmo dinheiro.

Os templos geralmente possuem cores fortes e vibrantes e são cercados pelo verde da natureza com belas paisagens naturais, uma característica interessante é que os templos possuem uma espécie de portais sem portas, chamadas de Torii, além de possuírem pontes que atravessam lagos e pequenos riachos.

A estrutura interna é composta por diferentes salas, em uma sala geralmente é realizada as orações, já o outro ambiente são destinadas as oferendas e pedidos, e a ultima sala, conhecida também como ante-sala, são depositados objetos sagrados que simbolizam o Kami.

Veja ainda: Definição de Moral

Os arcos presentes nos santuários não estão ali apenas para um enfeito decorativo, eles acreditam que o arco é a separação do mundo sagrado com o mundo exterior.

Mas não são todas as pessoas seguidoras da religião que tem acesso a todo templo, o salão interno apenas permite a entrada de sacerdotes xintoístas.

Todos os anos há festivais anuais com bebidas e comidas, festivais esses que as pessoas prestam suas homenagens aos kamis. O festival é considerado a representação da crença xintoísta e é seguido por milhares de pessoas.

Os cultos não são apenas realizados nos templos, mas podem ser feitos no trabalho, no próprio lar, através de oferendas simples e com menções próprias, não precisando seguir um guia especifico da bíblia.

É estimado que em todo Japão haja mais de 80.000 santuários xintoístas. O Santuário de Amaterasu em Ise é considerado o santuário mais importante do Japão.

Também recomendamos: O que é Mitologia?

Kit Alfabetização Só Escola
TURBINE O APRENDIZADO DO SEU PEQUENO! Com o KIT SÓ ESCOLA seu filho ou aluno vai reforçar e/ou acelerar o processo de alfabetização. São centenas de atividades educativas lúdicas e atualizadas.