Materialismo: Características e Contexto Histórico

A palavra materialismo é um substantivo masculino que é utilizado dentro das principais correntes filosóficas, correntes essas que buscam explicar o ser real em sua existência através da matéria, a doutrina percorreu os tempos da antiguidade e é uma discussão que ainda está presente nos dias atuais, não esquecendo que Karl Marx é o principal representante do chamado materialismo histórico dialético.

O materialismo dentro da filosofia é uma doutrina que a partir da matéria e seu movimento identifica a realidade fundamental do universo, essa busca compreende e explica todos os fenômenos, sejam eles sociais, mentais e naturais.

Lembrando que, fora da filosofia, o materialismo pode ser entendido como bens materiais, ou seja, uma pessoa materialista ligada a valores e coisas.

Principais Características

A doutrina materialista surgiu no século XIX com a ideia de substância, substância essa de caráter fundamental para o conhecimento do ser e os fenômenos, ou seja, a base de tudo, sem o materialismo concreto não há como tocar as coisas, os objetos, o ser.

A principal característica do materialismo é sua ligação com os fenômenos da realidade, a busca para explicar os fenômenos através da concretude material, concretude essa que se possa compreender racionalmente as premissas que geram as dinâmicas históricas, psicológicas, sociais, epistemológicas, dentre outras.

O materialismo é uma doutrina que se contrapõe aos pensamentos idealistas, metafísica e o espiritualismo, o materialismo coloca a matéria acima do espírito, já o idealismo pressupõe que o mundo material objetivo só pode ser conhecido a partir de uma verdade espiritual, seja ela mental ou subjetiva.

Enfim, é importante mencionar, que o materialismo se estende em outras vertentes, vertentes ligadas ao modo de vida das pessoas e suas escolhas, ou seja, a busca por coisas materiais são vistas como a busca do prazer, do apego.

Contexto Histórico

O materialismo antes mesmo de ter seu estudo contemplado por Marx, esteve presente na antiguidade egípcia, babilônica, indiana e por fim chinesa, o materialismo tornou-se uma doutrina ligada ao pensamento das coisas no ocidente e consequentemente tornando-se comum no século VII a.C, e a partir disso algumas escolas foram criadas, como a escola de Tales de Mileto (624-547 a.C) e seus discípulos Anaximandro (610-546 a.C) e Anaxímenes (585-525 a.C)

Posteriormente os pré socráticos dão um novo ar ao materialismo como Demócrito de Abdera (460-370 a.C), o mesmo concebeu a idéia da teoria atomista como estrutura da matéria, e por fim, Aristóteles (384-322 a.C) colocando que todas as coisas existentes têm uma base, base essa material, conclusiva.

Com a idade media veio a grande propagação da religiosidade e consequentemente a espiritualidade alastrou por todos os cantos dando continuidade até o surgimento do renascimento no século XV, Francis Bacon (1561-1626) surgiu para criticar a filosofia idealista das coisas e defendeu que a experiência é o principal fundamento para a busca do conhecimento em seu processo.

Materialismo e o pensamento marxista

É impossível falar de materialismo sem passar pelo filósofo marxista de Karl Marx (1818-1883) e outro grande contribuinte a doutrina, Friedrich Engels (1820-1895) ambos trazem que o ser em sua estrutura social e econômica são conseqüências das condições materiais de sua existência.

Veja ainda:

Materialismo Dialético                           

O materialismo dialético é a constituição das forças produtivas e as relações de produção, isso se dá através de mudanças que surgem dos embates entre forças sociais, e dentro disso, há a matéria, matéria essa ligada a dialética através das dimensões psicológicas e sociais.

O materialismo histórico dialético de Marx é uma teoria sociológica, a dialética é um método que está presente há tempos na sociedade, principalmente entre os filósofos clássicos gregos, a dialética de Marx é uma referência a dialética de Hegel, para ele as coisas estão em constante movimento, pois tudo é intrinsecamente contraditório, ou seja, a existência contem em si a sua própria negação, chamado de principio da contradição.

Veja um exemplo:

Tese: Momento de Afirmação, Antítese: Momento da Negação, Síntese: Momento da negação da negação

Ou seja, todas as coisas que estão na realidade são uma tese (afirmação) e ao mesmo tempo todas as coisas possuem uma negação que seria a (antítese), já o encontro de duas realidades diferentes gera uma síntese, uma coisa nem outra, muito confuso não é?

Vamos analisar um exemplo prático?

Vamos imaginar um ovo de uma galinha (tese), dentro desse ovo contêm a substância da clara e a gema, ambas são diferentes do ovo visto de fora, a junção entre o ovo, a clara, mais a gema, gera um pintinho, e esse pintinho não é uma coisa nem outra.

E a partir disso, Marx se apropria dessa idéia e aplica na materialidade histórica humana.

Recomendamos também:

Materialismo histórico

O Materialismo histórico nada mais é que a interpretação da história da humanidade a partir de um aspecto material, na forma em que a sociedade se organiza para produzir materialmente aquilo que é necessário para a sua própria sobrevivência, e a partir disso, Marx pensa e desenvolve um conceito de determinismo econômico e compreende que a economia dentro de uma sociedade e a forma a qual está organizada irá determinar todas as demais relações sociais existentes, contudo, podemos compreender que as relações sociais são ligadas as relações de produção, uma vez que todas as relações possuem um determinismo econômico. O materialismo histórico juntamente com o modo de trabalho impacta diretamente na vida social, política, e espiritual em cada momento da história.

Todo conjunto social segundo Marx é colocada através de duas características importantes, Infraestrutura e Superestrutura:

A infraestrutura está relacionada ao campo econômico, a maneira a qual a sociedade produz o que é necessário para a sua sobrevivência, os meios de produção através do trabalho.

Superestrutura é o campo ideológico, o campo das ideias em uma sociedade, a forma que a sociedade pensa.

Concluindo, a infraestrutura é o campo que determina como a sociedade pensa e se organiza culturalmente e socialmente através de uma estrutura econômica, e a partir do materialismo dialético Marx elabora cinco passos que demonstram a aplicação do método historio na dialética:

  • O homem na sua trajetória de sobrevivência deve estar preparado para viver e fazer história, buscando a produção da vida material.
  • Com essa produção de vida material realizada, o homem necessita criar novas necessidades, e essa criação de necessidades por Max é considerada o primeiro ato histórico.
  • O homem com o sistema de produção e com ela renovando toda existência cria outros seres humanos e a partir disso se reproduzem, constituindo famílias.
  • As forças produtivas determinam o estado social
  • É a partir de todas essas premissas que o homem tem capacidade de ter a consciência da sua existência social, ou seja, a consciência passa a aparecer através da necessidade, à consciência é o produto social.

Concluindo, a tese se apresenta como matéria, ou seja, a natureza, a antítese é o trabalho, e a síntese é a sociedade, ou seja, a soma da natureza com o trabalho é a sociedade.

Conteúdo original, não se esqueça de referenciar: Disponível em: < https://resumos.soescola.com/filosofia/materialismo/ >

Kit Alfabetização Só Escola
TURBINE O APRENDIZADO DO SEU PEQUENO! Com o KIT SÓ ESCOLA seu filho ou aluno vai reforçar e/ou acelerar o processo de alfabetização. São centenas de atividades educativas lúdicas e atualizadas.