Ética: O que é?

Kit Só Escola Autismo

A ética vista também como uma filosofia moral é uma área de conhecimento que guia o modo de como as pessoas se comportam em sociedade diante de diversas ações no cotidiano.

Para melhor compreendimento, a Ética é entendida como um conjunto de valores e princípios que são usados para resolver diversos questionamentos da vida: Eu quero? Eu devo? Eu posso?

A sociedade está inserida culturalmente em preceitos éticos, preceitos pautados em valores compreendidos naquilo que é correto e incorreto, bem e mal. Esses princípios são construídos através de valores morais impostos pela própria sociedade, e a ética “surgiu” para tentar compreender esses mesmos valores e estudá-los.

Como todos já estão cansados de saber, a palavra ética é de origem grega (Ethos) significa costumes, hábitos, por esse fato, a ética é entendida como o estudo das ações e seus princípios, todas essas características citadas podem ser vistas em ações humanas sociais, culturais no âmbito coletivo ou individual.

Nos dias atuais a ética é muito mais vista em questões profissionais, conhecida como ética deontológica.

Existe distinção entre Ética e Moral?

Há muitas discussões acerca sobre a diferença entre ética e moral, visto até como um tema polêmico, alguns pensadores contemporâneos ainda reforçam a idéia que ambas são termos sinônimos, ou seja, não há nenhuma diferença.

Em linhas gerais, a ética e a moral possuem significados próximos, fator esse que acaba ocasionando confusão em relação do verdadeiro significado.

A palavra ética vem do grego (Ethos) que significa modo de ser ou comportamento, já a palavra moral por sua vez deriva do latim (mores) que significa costume, por essa perspectiva, é visto que há significações bem próximas.

A moral pode ser entendida como um conjunto de comportamentos e princípios que são aceitos, esperados e incentivados em uma sociedade, princípios esses baseados em crenças e valores que determinam os comportamentos e define o que está correto ou errado no âmbito do convívio social, de maneira geral, podemos dizer que a moral é um conjunto de normas que orientam o comportamento humano em uma comunidade ou cultura, a mesma pode variar de acordo com o local e o tempo.

Já a ética pode ser entendida de duas formas diferentes, a primeira forma é o estudo do que é a moral e como ela se fundamenta em uma sociedade, portanto a ética reflete, questiona e tenta compreender os valores morais.

No segundo significado a ética é vista como normas de valores morais presentes no individuo ou em uma sociedade.

Contudo, é preciso entender que ambos os conceitos não podem ser confundidos ou colocados como iguais, a moral está intrinsecamente ligada aos valores, comportamentos e costumes de determinada população, por sua vez, a ética pode validar ou contestar esses valores morais através de preceitos fundamentados.

Temos como exemplo claro a escravidão no Brasil que por anos a fio foi considerado uma prática normal e até mesmo justificável, mas felizmente com o avanço das questões sociais e principalmente a construção de um pensamento ético esses costumes começaram a serem questionados e com ela houve o surgimento de pensadores que foram contra a escravidão e com ela a posse do ser humano.

Nos dias atuais, a escravidão fere os preceitos morais vigentes e principalmente os direitos humanos.

Subdivisão da filosofia contemporânea na ética

A Filosofia contemporânea é dividida em 3 sub-áreas  principais, ética normativa, ética aplicada (prática), e por fim, a metaética, vamos entender cada uma delas?

A ética normativa pode ser entendida como uma espécie de sub-área da ética que estuda os princípios que direcionam o que é certo ou errado, ou seja, o bom e o mal, princípios esses vistos no caráter e a conduta. É importante mencionar que a ética normativa não estuda especificamente o modo a qual as pessoas agem, mas sim como elas deveriam pensar e agir, por esse fato é conhecida como normativa, uma vez que estuda as normas e princípios que deveriam ser aceitos.

Vamos para um exemplo?

Imagine que nesse momento você está refletindo o que seria uma ação correta? É necessário primeiramente levar em consideração se uma ação é correta ou não, e a partir disso, questionar as conseqüências que essas ações trazem e pensar nas interações dos agentes que cometeram essa mesma ação.

Veja um caso concreto:

Um atirador aponta sua arma para uma multidão de pessoas e sem ter o conhecimento acaba tirando a vida de um terrorista carregado de bombas no corpo e que tinha como objetivo de explodir tudo em sua volta.

Eis a pergunta, a ação do atirador foi correta ou não?

Por um lado, podemos pensar que a ação foi correta, uma vez que matando um terrorista cheia de bombas e salvando todas as pessoas em volta trouxe boas conseqüências, mas por outro lado, podemos pensar que a ação foi incorreta, pois o atirador estava pretendendo matar qualquer pessoa em sua volta.

Já no campo da ética prática é estudado os problemas da vida pública e privada dos seres humanos, ou seja, a ética prática busca compreender como os indivíduos devem aplicar os princípios morais em situais reais do cotidiano , o objetivo é entender de como as normas irão funcionar no dia a dia, pois em muitos casos há dilemas morais, onde alguns princípios são aceitos e contradizem com outros.

Por fim, a metaética é uma sub-area da filosofia moral que visa compreender a própria natureza da ética e o significado das expressões morais, a metaetica não questiona quais são as ações corretas a serem seguidas, e sim, o que faz uma ação ser correta ou incorreta, ou seja, não visa determinar quais são os princípios morais, a mesma trata de problemas mais abstratos.

Pensadores fundamental do campo ético

O campo ético é compreendido desde antiguidade por filósofos estudiosos da temática que buscavam entender os principais princípios e valores de determinadas comunidades, e como esses valores e princípios eram realizados na prática.

Foram inúmeros pensadores que em diferentes épocas buscaram refletir sobre a ética e suas vertentes, temos como exemplo: Os pré socráticos, sofistas, Sócrates, Platão, Nietzsche, Spinoza, os estóicos, entre tantos outros.

Vamos conhecer os três principais?

Aristóteles (384 a.C -322 a.C)

Aristóteles em seu pensamento ético compreendia que tudo possuía uma razão de existir e ser, para ele é necessário buscar algo para a vida e com ela uma razão de existir. Para Aristóteles, a ética está intrinsecamente ligada à felicidade, pois todos buscam algo na vida, e todos procuram ser felizes de alguma maneira.

A concepção de felicidade pode ser vista em sua obra “Ética Nicômaco”, a qual trouxe vertentes acerca da felicidade como finalidade da vida e a virtude como fator principal da existência humana.

O pensamento do filósofo estava voltado para as relações humanas e com ela os princípios que norteavam as ações dos indivíduos para assim alcançar uma vida virtuosa.

Maquiavel (1469-1527)

Maquiavel buscou compreender a ética dos indivíduos e a ética do estado, em sua famosa obra “O Príncipe”, o mesmo compreendia que o estado e suas funcionalidades tinham como base fundamental a lógica individual.

Ele foi além, o mesmo criou a diferenciação entre virtude política e virtude moral.

O pensamento do filósofo mudou complemente a estrutura social vigente e com ela as tradições da até então idade media, a qual estava bastante ligada aos ideias cristãos e consequentemente baseava-se o poder de governo em divindades.

Kant (1724-1804)

O filósofo iluminista compreendia que o homem é pautado de racionalidade, e se o mesmo é racional, sabe determinar o que é certo ou errado, o correto para Kant seria as leis morais e o incorreto as inclinações morais.

Para a ética ser colocada em prática é preciso que haja momentos de reflexões e questionamentos por parte do individuo, a reflexão antes da ação é essencial para a qualidade da ação que será realizada, propiciando a paz e o equilíbrio em sociedade e assim obter boas relações entre as pessoas.

O conceito de ética de Kant é um dos mais aplicado nos dias atuais, o mesmo entendia a ética de duas maneiras em modo imperativo, ou seja, conceitos que são baseados em nossas ações, os imperativos hipotéticos, são as ações movidas pelas paixões e ansiedades.

Já os imperativos categóricos são as ações movidas pela razão que precisam ser raciocinadas, para ele, a ética é fundamentada na nossa ação e prática, a ação que fundamenta a ética e a ética é movida pela razão, logo, a ética para Kant está em uma razão pura e que saiba conviver em sociedade.

A importância da ética em sociedade

Como mesmo vimos à ética está presente no cotidiano da sociedade, ou seja, na minha vida e na sua vida, no individuo como todo, afinal de contas, somos seres racionais. A ética é vista como principal meio para uma organização de uma sociedade.

Por esse fato, conclui-se que toda ação humana é pautada através de conjuntos de juízos que determinam o real valor das ações, e a partir disso, o ser humano é capaz de escolher determinados comportamentos de acordo com o conjunto de valores, conjunto esse que pode ter sido construído culturalmente, socialmente e até individualmente.

Portanto, a ética é vista como um campo de saber que propicia o conhecimento dos valores corretos.

_

Conteúdo original, não se esqueça de referenciar: Disponível em: < https://resumos.soescola.com/filosofia/etica/ >

Kit Alfabetização Só Escola
TURBINE O APRENDIZADO DO SEU PEQUENO! Com o KIT SÓ ESCOLA seu filho ou aluno vai reforçar e/ou acelerar o processo de alfabetização. São centenas de atividades educativas lúdicas e atualizadas.