A Origem da Filosofia

Amor a sabedoria, duas palavras que conceituam bem a concepção da filosofia em sua origem grega, “Philosophia”, junção das palavras philos (amizade, afeição) e shophia (amor ao conhecimento).

A filosofia surgiu na Grécia Antiga, aproximadamente no século VI a.C através de questionamentos e a sede do saber do homem em relação às coisas do mundo, a qual a filosofia nasce para explicar esses fenômenos de uma maneira mais racional e lógica.

Tales de Mileto ficou conhecido por ser o primeiro filósofo da história, mas foi Pitágoras que trouxe a junção das palavras philos e shopia e consequentemente o significado do termo.

A filosofia ficou reconhecida como toda atividade que busca compreender os fenômenos do mundo através de um pensamento lógico-racional, a mesma surgiu deixando para trás concepções mitológicas rasas, para um conhecimento mais seguro, concreto.

A passagem mítica á consciência filosófica

A filosofia nasceu posteriormente aos mitos gregos, ou seja, mitos que se utilizavam de explicações sobrenaturais através da criação de deuses e titãs para explicar os principais fenômenos e surgimento das coisas, sendo considerada uma crença politeísta.

 Os povos da época acreditavam em diversas entidades e essas entidades davam uma espécie de sentido ao surgimento do universo.

A passagem mítica á consciência filosófica

As lendas contadas pelos conhecidos poetas-rapsodos possuíam uma caráter sobrenatural, fabuloso, e até mesmo, fantasioso, as histórias eram compostas por criaturas de características humanas e eram reconhecidas através de imagens, e a partir desse contexto, cria-se uma espécie de cultura popular dos mitos, construída a partir da oralidade repassada pelas comunidades.

Por um bom período, a mitologia foi à principal forma de acessar os diversos questionamentos sobre o mundo, tornando-se uma cultura grega, todos os aspectos dos fenômenos estavam relacionados com as divindades, não havia diferenciação da religião e outras atividades.

Só depois de muitos séculos, a concepção mitológica foi ganhando outro sentido, os povos da Grécia começaram a procurar outros tipos de conhecimento, de saber, e a partir disso, pensar novas possibilidades de explicações para as coisas ao redor delas.

E com esse cenário, surge à necessidade de procurar explicações mais fundamentadas sobre todas as coisas, os mitos vão dando lugar a argumentação e questionamentos, e com ela, a capacidade de convencimento através da lógica e a razão.

A lógica foi colocada como algo objetivo, conhecimento puro racional, fazendo com que o pensamento grego abandonasse cada vez mais a consciência mítica, para mergulhar naquilo que fazia sentido, ou seja, uma consciência filosófica.

Veja também:

O nascimento da filosofia em seis momentos

Como sabemos, a filosofia teve seu surgimento marcado na Grécia Antiga através de diversos fatores que levaram a um pensamento mais racional e critico das coisas, ou seja, a melhor explicação sobre a realidade.

Mas antes disso, houve seis momentos principais que levaram ao nascimento da filosofia, como: O comércio, O surgimento da escrita alfabética, o surgimento da moeda, a invenção do calendário, O surgimento da vida pública, e por fim, o surgimento da razão:

  • O Comércio: Por conta das diversas transformações das cidades gregas no teor geográfico, houve a valorização do comércio e com ela a chegada de navios marítimos, com esse fato, os povos gregos tiveram uma ligação com outras culturas diferentes, havendo assim o distanciamento dos mitos através da comparação da sua própria cultura em relação às outras.
  • O surgimento da Escrita: O surgimento das duas primeiras letras gregas x “Alfa” e B “beta” trouxe a expansão da tecnologia na cidade, com a escrita houve o distanciamento da aura mítica dos ideogramas, para os fonemas, ou seja, os sons.
  • O surgimento da Moeda: Com a crescente do comércio e a troca de moedas resultou um maior grau de consciência e lógica, fazendo com que o povo percebesse que o número de moedas era de acordo com o número de produtos
  • A invenção do Calendário: A invenção do calendário foi outro fator importante para desmistificação da realidade, com ela trouxe a percepção das estações do ano e os eventos da natureza, ou seja, não eram os Deuses que controlavam o clima, e sim, os astrônomos e matemáticos que tinham a responsabilidade de fazer previsões através de cálculos
  • O surgimento da Vida pública: Com o desenvolvimento da polis (política) na cidade, houve maior intensificação da vida pública, e com ela, a maior inteiração das pessoas e organização do espaço, ocupando lugares para maiores discussões acerca da política e consequentemente a resolução de conflitos, surgindo assim um conhecimento mais amplo, deixando os Deuses e as divindades em um segundo momento.
  • O surgimento da Razão: Com esses acontecimentos listados acima, surge à necessidade de procurar explicações mais racionais, e a partir disso, houve o surgimento da razão como principal fator de desmistificação dos mitos. E com essa razão o povo grego começou a buscar na natureza questionamentos como: o que causa o que? Qual o seu efeito?. A natureza começa a ser vista através da razão humana.

Por fim, é nesses seis contextos que nasce a filosofia como produção de conhecimento racional e lógico.

Principais características da filosofia

A filosofia não é vista como uma ciência, pois suas conclusões não podem ser baseadas através de métodos científicos, mas, é importante mencionar, que muitos filósofos se dedicaram ao estudo da natureza, da matemática, e dentre outras formas de conhecimento.

Vamos conhecer as principais características da filosofia?

  • Autonomia: A autonomia é umas das principais características da filosofia, pois os pensadores filosóficos têm a total liberdade de pensar por si próprios e criar suas próprias teorias e conhecimentos.
  • Radicalidade: Como sabemos a filosofia não está ligada com fatos e verdades superficiais e opiniões, como o senso comum, a mesma parte do principio do questionamento, a partir do questionamento, procura-se meios racionais e lógicos para se chegar ao conhecimento, a raiz do problema.
  • Historicidade: É a partir da historicidade que o individuo tem o conhecimento total das coisas e a partir disso cria-se a base para se pensar individualmente, por si mesmo, e com elas surgem às conclusões racionais.
  • Universalidade: A filosofia não trata apenas de um assunto especifico, ou seja, ela é universal, global, e está presente em cada pessoa que vive nesse planeta. Com essa grande multiplicação de conhecimento sobre as coisas, levou a filosofia a criar áreas especificas de estudo, como: Filosofia política, Cosmologia, a ética, metafísica.

Fases da filosofia

Podemos dividir a filosofia clássica grega em três momentos dentro da história:

 Período Pré Socrático (Século V a VII a.C): Esse é o período que surgiram os primeiros filósofos, chamados de filósofos pré socráticos, essa fase marca os primeiros princípios para o desenvolvimento da filosofia. Os principais conhecimentos estavam voltados a natureza, o surgimento do mundo e a cosmologia.

Período Socrático ou Clássico (século V a IV a.C): É a partir desse contexto que a Grécia começa a ter suas principais mudanças no campo político, como a entrada da democracia, com essa fase surgiram os principais filósofos da época: Platão e Aristóteles, que se dedicaram a um saber mais lógico do homem e o aprofundamento na política.

Período Pós socrático (século III até o inicio da era Cristã): Nessa fase os assuntos ligados a existência e a instabilidade da vida cotidiana ganham força e a hegemonia na Grécia dentro do campo filosófico perde um pouco de popularidade.

Recomendado: Friedrich Engels e Método Científico

Principais pensadores da filosofia

SÓCRATES (469 a.C -399 a.C)

SÓCRATES (469 a.C -399 a.C)

Sócrates surge em um momento de amadurecimento do pensamento filosófico, período esse que aos poucos foi deixando para trás as questões relacionadas à natureza e focando nas atividades humanas.

Sócrates é considerado o pai da filosofia ocidental, mesmo não sendo o primeiro filósofo da origem da filosofia, o mesmo trouxe grandes ganhos para o campo, tanto que foi o mesmo que desenvolveu a “Atitude Filosofia”, e teve uma grande contribuição no campo da lógica e a epistemologia.

 Além de ter desenvolvido a atitude filosófica, teve um grande marco por admitir que nada sabia, e por esse fato, foi considerado o mais sábio entre todos os outros  , o levando a questionar e buscar a verdade, conhecido como método socrático.

Sócrates não deixou nenhuma das suas ideias escritas à mão, função essa que ficou a cargo de Platão, seu discípulo.

PLATÃO (428 a.C-348 a.C)

Platão foi um dos principais filósofos a influenciar todo o pensamento ocidental através da busca do conhecimento.

O filósofo e matemático foi discípulo de Platão e ficou a cargo de divulgar todas as suas ideias e obras através de diálogos, o mesmo foi responsável pela fundação da instituição de educação superior na cidade de Atenas, conhecida como Academia de Platão.

ARISTOTELES (384-322 a.C)

Aristóteles também foi discípulo de Sócrates e desenvolveu um vasto e importante trabalho para o campo filosófico. Além de filósofo, foi professor, profissão essa que o levou a dar aulas para as figuras mais importantes da Grécia, como o Imperador Alexandre, O grande.

Além de tudo, foi o grande responsável por popularizar o pensamento grego e a filosofia grega, que ficou conhecida como umas das mais importantes da história, construindo assim o seu legado.

___

Conteúdo original, não se esqueça de referenciar: Disponível em: < https://resumos.soescola.com/filosofia/a-origem-da-filosofia/ >

Kit Alfabetização Só Escola
TURBINE O APRENDIZADO DO SEU PEQUENO! Com o KIT SÓ ESCOLA seu filho ou aluno vai reforçar e/ou acelerar o processo de alfabetização. São centenas de atividades educativas lúdicas e atualizadas.