Paidéia Grega

O conceito Paidéia Grega pode trazer diversas dúvidas e questionamentos sobre o seu significado, o termo surgiu a muitos anos atrás na Grécia Antiga que trazia a palavra Paidéia vinculada  a formação da perfeição humana,  ou seja, uma formação voltada não apenas na construção da criança para a idade adulta, mas visava a ensinar o homem virtudes para torna-se um cidadão honrado.  Vamos entender um pouco mais?

Paidéia Grega na Educação

A educação na Grécia Antiga era extremamente baseada na formação dos cidadãos e jovens com a perspectiva de amplitude, essa amplitude advinha na educação do corpo, ou seja, a educação física somada a exercícios, até chegar à profundidade, a educação do espírito, da alma, além de outras matérias mais amplas, como refinamento de costumes, astronomia, o estudo da lógica e da linguagem.

A Paidéia nos tempos da Grécia Clássica a partir do século V A.C, torna-se um conceito mais exato, nessa época é considerada a base primordial da educação, fazendo com que as matérias antes utilizadas perdessem a prioridade, ela surge para formar um elo de construção entre o homem comum e o homem cidadão, essa ideia é colocada também por Platão, que denomina Paidéia como transformação das vontades e desejos do homem para a busca de se tornar um cidadão honrado e perfeito diante da justiça tendo-a como fundamento principal de vida, e além disso, é através dessa nova educação que há o sentido próprio de aprender a mandar e obedecer.

Educação no período democrático

Antes do período democrático na Grécia, a educação e os valores eram trazidos pelos poetas através de mitos gregos, já no período democrático, o cenário muda, com a nova configuração democrática em Atenas era preciso preparar os jovens para a vida política, expor ideia de forma clara e objetiva, ou seja, uma maior preparação para debates. É nesse período que surgem a figura dos chamados sofistas, os sofistas eram filósofos que ensinavam a retórica, a arte de falar bem, ensinavam os jovens de classe alta participantes da política a terem uma postura inteligente e de bom convencimento. Isso era algo muito importante na época para pessoas do meio político.

Através desses ensinamentos os sofistas começaram a ficar famosos no meio político, assim conseguiram conquistar fama e muita riqueza, como Protágoras, esses filósofos desenvolviam um método retórico baseado na simples argumentação pelo convencimento, a necessidade de convencer, ou seja, induzir apenas para vencer e não pela verdade, isso trouxe questionamentos: convencimento dos seus interlocutores políticos sem nenhum compromisso com qualquer ideia verdadeira, concreta?

MARCO SOCRÁTICO   

É na figura sofista de enganação que aparece a figura de Sócrates, o mesmo foi contra esse sistema retórico, assim ele trouxe uma mudança de visão significativa, estabelecendo a necessidade de buscar a verdade, de ser justo, o filósofo desafiou o sistema político e logo depois foi condenado à morte. O discípulo de Sócrates, Platão, continuou seu trabalho, resgatou as ideias do seu companheiro e os mitos gregos com o objetivo de pensar os valores que a sociedade deveria cultivar, pois a sociedade “democrática” estava perdendo seus princípios e principalmente a necessidade de se conhecer a verdade, e essa verdade segundo Platão poderia ser conhecida nas ideias puras e das formas, conhecimento do estado ideal e consequentemente melhoramento da política, categorias essas que atribui à finalidade de toda educação. 

Outros artigos:

Kit Alfabetização Só Escola
TURBINE O APRENDIZADO DO SEU PEQUENO! Com o KIT SÓ ESCOLA seu filho ou aluno vai reforçar e/ou acelerar o processo de alfabetização. São centenas de atividades educativas lúdicas e atualizadas.